ENDIVIDAMENTO POR CARTÃO DE CRÉDITO CHEGA A 77,7% EM SÃO PAULO

  • 31/03/2021
  • 0 Comentário(s)

ENDIVIDAMENTO POR CARTÃO DE CRÉDITO CHEGA A 77,7% EM SÃO PAULO

Em meio à inflação dos alimentos e o impacto na renda – principalmente dos estratos sociais inferiores –, as famílias paulistanas estão recorrendo mais ao cartão de crédito para manter o consumo. É o que indicam os dados de março da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC) da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP): 77,7% dos lares têm alguma dívida com cartão, hoje, no município – o maior porcentual desde junho de 2012. O número é 4,5 pontos porcentuais acima do registrado em fevereiro (73,2%), que já era um recorde histórico.

Esta modalidade de dívida foi responsável pela manutenção do cenário de aumento do endividamento pelo quarto mês seguido, agora atingindo 60,9% das famílias paulistanas – alta de 1,7 ponto porcentual em relação a fevereiro. A inadimplência, por sua vez, parece mais controlada na cidade: subiu apenas 0,2 ponto porcentual, fechando março em 18,4% (era 18,2% em fevereiro e 18,7% em janeiro). O mesmo acontece com aqueles que declaram não ter condições de arcar com as dívidas – 8,4%, ante os 8,3% de fevereiro.

A pesquisa mostra, portanto, que 2,41 milhões de famílias estão endividadas na capital paulista. Dessas, 732,5 mil estão com as contas atrasadas. Para a FecomercioSP, o aumento do endividamento pelo cartão de crédito se explica também pela postura de muitas instituições financeiras e bancos em restringir a oferta de crédito, temendo a inadimplência em meio ao recrudescimento da pandemia de covid-19. Com isso, o cartão se torna a única alternativa das famílias para ir às compras – mesmo as mais básicas.

No entanto, o indicativo mais expressivo da pesquisa, para a Entidade, tem a ver com a deterioração das condições econômicas das famílias paulistanas, resultado da ampliação das restrições de funcionamento de muitas atividades, bem como do isolamento social em meio ao auge da crise sanitária na cidade. Tudo isso em um contexto de inflação (só os alimentos subiram 10,92% em 2020, na região metropolitana de São Paulo), de queda na renda e do crescimento do desemprego.

Por Sandro Spironeli

Fonte: FecomércioSP

Imagem: Redes Sociais 

0 Comentários


Deixe seu comentário


Aplicativos


Locutor no Ar

Bot Demais

MADRUGADA DEMAIS

03:00 - 04:59

Peça Sua Música

Nome:
E-mail:
Seu Pedido:


Top 5

top1
1. Hillsong United

Océanos

top2
2. Kell Smith

Mudei

top3
3. Gabrielly Lourenço

Eu Irei e Cumprirei

top4
4. The Weeknd

In Your Eyes

top5
5. Isadora Pompeo

Hey, Pai

Anunciantes